Fístula Anal

Fístula anal ou peri-anal é uma comunicação da transição do ânus e reto com a região perineal através de um trajeto. Tem sua origem na infecção de uma das glândulas anais que tem por função lubrificar o canal anal para a passagem das fezes durante a evacuação. Esta infecção das glândulas leva à formação de um abscesso no ânus que cresce e forma trajetos até sua exteriorização com o períneo, podendo passar pelo meio dos músculos do ânus, responsáveis pela manutenção da continência anal (evita a perda involuntária de fezes). Desta forma na fístula existem três aspectos importantes a saber: a origem da fístula ou orifício interno, localizado dentro do ânus, o trajeto que a fístula faz até sua exteriorização e finalmente a sua saída ou orifício externo.

O tratamento das fístulas anais é sempre cirúrgico com abertura do orifício externo, trajeto e orifício interno. O grande problema além das recidivas, geralmente causados por loja de abcessos não localizados durante o ato pós operatório, é o da lesão destes músculos responsáveis pelo controle das fezes. Realmente a cirurgia das fístulas anais é o mais complexo dos tratamentos das cirurgias anais e não importa o conhecimento do cirurgião proctologista da região; pois muitas vezes existe uma lesão que pode variar de mínima ou até total desta musculatura anal levando a prejuízos da continência das fezes, isto é, pode haver comprometimento do controle das fezes.

Quando o comprometimento desta musculatura é muito grande opta-se pela cirurgia em dois tempos com a passagem de um fio ou seton nos músculos anais, que deverá ser retirado em 45 a 60 dias, numa nova cirurgia, para que este músculo não seja cortado com consequência da perda involuntária de fezes.