Constipação Intestinal

Esta enfermidade é caracterizada pela frequência evacuatória menor ou igual a 2 vezes por semana ou ainda por pessoas que apesar de evacuarem diariamente reclamam da dificuldade para evacuar.

A principal causa da constipação é o erro alimentar, principalmente em uma sociedade  com tempo restrito para alimentação e com fast-foods por todos os lados, onde o que se ingere são na sua maioria lípides e carboidratos com absoluta falta de fibras.

Esta aumentam o bolo fecal aumentando as contrações intestinais e, portanto facilitando a evacuação. A maioria das pessoas constipadas melhora após aumentar a ingesta de fibras, tomar 2 litros de água por dia e do exercício físico.

Entretanto de 20 a 30% dos constipados, não melhoram com estas medidas apesar de comerem uma quantidade de verde que poderia desmatar a Amazônia. Estes pacientes necessitam de exames especiais capazes de diagnosticar a causa da constipação.

Sua causa pode estar localizada ao longo de todo cólon ou apenas na sua porção terminal, ou seja, no assoalho pélvico ou o mais comum, em ambos.

As mulheres de meia idade são as mais susceptíveis para constipação, principalmente aquelas que trabalham fora e enfrentam a concorrência da vida moderna. Estas comumente sofrem também da síndrome do intestino irritável, que é uma patologia funcional do trato gastrointestinal, onde não existem doenças orgânicas, e que é caracterizada principalmente por dores abdominais principalmente em quadrante inferior esquerdo do abdômen acompanhada por distensão abdominal, gases e em 80% por constipação intestinal, cuja dor melhora com a evacuação e nos 20% restantes por quadro de diarréia ou fezes amolecidas com aumento da velocidade de trânsito intestinal. Geralmente é desencadeada por quadros de stress e ansiedade.

Após a realização da manometria anorretal, da defecografia e do tempo de trânsito colônico sabemos com grande precisão a causa da constipação, que pode estar localizada no assoalho pélvico, sendo reconhecidas a:

Rectocele, normalmente cujo tratamento é o cirúrgico realizado através de cirurgia simples no períneo ou no reto através de grampeadores e cujo resultado de melhora da constipação é superior a 85%.

Intussuscepcão interna, onde pelo esforço evacuatório um pedaço de mucosa se desloca da sua posição original numa tentativa de evacuação e bloqueia a passagem de fezes, onde novamente a cirurgia com o grampeador apresenta excelentes resultados.

Contração paradoxal do puborretal, que é o fechamento da musculatura anal durante tentativa de evacuação e cujo tratamento é o biofeedback.

Nos casos cuja causa é o cólon, onde exiete a retenção de marcadores  a causa é nomeada de tempo de trânsito colônico lento ou inércia colônica e o tratamento é geralmente clínico através de laxantes e em casos muito especiais o tratamento é cirúrgico.